A próstata é uma glândula masculina, localizada abaixo da bexiga. Envolvendo parte da uretra, tem como principal função a produção de secreção prostática, que compõe parte do sêmen.

O câncer de próstata é uma doença que pode ser diagnosticada precocemente e com altas chances de cura, quando tratado em sua fase inicial. A freqüência dessa doença aumentou consideravelmente, sendo o câncer que mais acomete a vida do homem.

Através do diagnóstico precoce, as chances de cura são maiores. Para isso, é necessário o exame preventivo anual em todos os homens a partir dos 45 anos de idade, ocorrendo ou não sintomas. Os indivíduos que apresentam incidência de câncer de próstata na família, o exame preventivo deverá ter início aos 40 anos.

 

Fatores que aumentam a incidência do câncer de próstata

Alguns fatores podem aumentar o risco de desenvolvimento do câncer de próstata. Os principais são:

- idade: após os 50 anos de idade, a ocorrência do câncer de próstata e mortalidade por essa doença são maiores;

- histórico familiar: casos da doença em familiares de primeiro grau (pai e irmãos), principalmente em idade inferior a 60 anos de idade, aumenta o risco de incidência;

- dieta: acredita-se (ainda não há a definição do papel da dieta) que o consumo em grandes quantidades de carne vermelha, gorduras e leite aumente o risco desse câncer. Já o consumo de frutas, vegetais ricos em carotenos, leguminosas, alimentos ricos em vitaminas A, D, E e minerais como o selênio são os protetores do organismo contra o câncer de próstata;

- Consumo excessivo de álcool e tabagismo.

 

Sintomas 

Mais da metade dos homens com câncer de próstata não tem sintomas. Quando o tumor é pequeno, e atinge somente a glândula, raramente é detectado. Nesse contexto, o paciente não apresenta sinais e os exames podem até ser normais.

Os sintomas mais comuns relacionados à doença surgem com a compressão da uretra. Normalmente o câncer começa na parte mais externa da próstata, distante da região central, por onde passa a uretra. Com o desenvolvimento do tumor, ele passa a atacar toda a próstata, comprimindo assim a uretra e causando os principais sintomas, que são:

- dificuldade de urinar;

- necessidade de esforço para terminar de urinar;

- o jato miccional vem em intervalos de tempo;

- bexiga palpável no abdômen;

- gotejamento no final da micção. 

Assim, ao se apresentar algum desses sintomas, o médico deve ser procurado. Vale ressaltar que a maioria dos pacientes não apresenta sinais da doença, quando o tumor está em estágio inicial. Por isso a importância do exame preventivo, que permite o diagnóstico precoce e o tratamento com sucesso.

 

Diagnóstico

O diagnóstico do câncer de próstata é feito através de biópsia prostática guiada pelo ultra-som. Esse exame só é realizado caso os exames iniciais estejam alterados. Tais exames são:

- toque retal: nesse procedimento, o médico introduz o dedo indicador no ânus do paciente e palpa a próstata. É um exame imprescindível, pois é através dele que a doença pode ser diagnosticada em seu estágio inicial, já que esse câncer tem início na parte externa da glândula, a parte que é tocada no exame;

- dosagem do antígeno prostático específico (PSA): é um elemento produzido somente pelas células da próstata.

Esses exames, em conjunto, podem detectar os pacientes com câncer. Mas não são exames confirmatórios e, caso estejam alterados, o paciente é encaminhado para a realização da biópsia. 

- biópsia: uma sonda de ultra-som é introduzida no reto do paciente para visualização da próstata. As imagens determinam os locais da retirada de fragmentos, as quais são feitas com uma agulha. O diagnóstico definitivo é confirmado através das amostras.

 

Tratamento 

A escolha do melhor método para o tratamento do câncer de próstata depende da idade do paciente, do estágio clínico, da velocidade de crescimento do tumor e da saúde geral do indivíduo. Outros aspectos decisivos são a avaliação dos benefícios e potenciais efeitos colaterais de cada método. O tratamento, quando iniciado em estágio precoce da doença, tem grandes chances de êxito e o paciente pode ser curado. Em estágio avançado, o tratamento pode prolongar a vida e aliviar os sintomas.

Quando a doença está localizada, a cirurgia (remoção da próstata e de estruturas próximas que estejam acometidas pelo câncer) e a radioterapia (aplicação de raios de alta energia, capazes de destruir as células cancerígenas) podem ser oferecidas. Já para a doença em estágio avançado, a radioterapia ou a cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizadas. E para a fase metastática, o tratamento é a hormonioterapia, utilizado para reduzir o tamanho do tumor.