Responsável por muita preocupação e desconforto, a acne precisa ser acompanhada para não gerar cicatrizes.

Na adolescência, os hormônios andrógenos, testosterona e derivado, levam ao desenvolvimento das glândulas sebáceas. O aumento da secreção varia de acordo com as características familiares, pessoais e ambientais e leva ao aparecimento de comedões (cravos) e acnes (espinhas). A acne é mais precoce na adolescência feminina, podendo sugir entre 11 e 13 anos de idade e, nos meninos, entre 13 e 14 anos de idade, mas também pode se dar na fase adulta. 

CONHEÇA OS TIPOS DE ACNE

  • Acne do recém-nascido: aparece em formas de pápulas (tipo lesão na pele), comendões e algumas pústulas (pequenas saliências na pele que se enchem de líquido ou pus), em geral, pequenas. Desaparace, espontaneamente, em torno de quatro meses e, comumente, não deixa cicatriz.
  • Acne infantil: surge mais tardiamente, em torno de 3 a 6 meses de vida, podendo persistir por meses ou anos, evoluindo para cicatrizes. De modo geral, surge em forma de pápulas, pústulas e comedões.
  • Acne vulgar: é dividida em não inflamatória, que apresenta apenas comendões; e inflamatória pápulo-pustulosa, que se caracteriza pela presença de pápulas e pústulas, que podem ser leves, moderadas ou graves, podendo se espalhar por todo o rosto e tronco.
  • Acne nódulo-cística: lesões nodulares, que podem ser moderadas e graves.
  • Acne conglobata: Forma grave de acne, com nódulos purulentos, numerosos e grandes, formando abscessos (o acúmulo localizado de pus em um tecido).
  • Acne fulminans: Forma rara, associada às formas de acne nódulo-cistica e conglobata, que evolui para febre e dores articulares.

 

FORMAS DE PREVENÇÃO

  • Evitar o uso de cosméticos e óleos.
  • Controlar o estresse.
  • Evitar alimentos gorduros e calóricos; e a exposição solar intensa.
  • Não manipular as espinhas sem o auxilio de uma especialista.